Que o amigo seja para vós a festa da terra

20 abril 2007

Aletheia

















Gibelina 2002


O que se encontra no outro
não é algo que se tenha perdido,
é antes o que se passa a ser.

10-1-2005

3 <:

Anónimo disse...

Olá! Essa "aletheia" soa-me tão familiar, mas a minha Grécia aparece-me durante os dias como um sonho dificil de reconstituir. Logo à noite procuro no dicionário : )
Não sabia que desenhavas, muito menos que tinhas uma árvore dessas para desfiar na ponta dos dedos.
Gosto!

um abraço

Priscila

Sara disse...

Priscila, que bom ler-te por aqui, és muito bem vinda. Aletheia é a negação de Lethes, o rio do esquecimento, ou velamento. A aletheia é o modo do desvelar, traz à luz o que estava escondido recusando-lhe o esquecimento. É uma descoberta.

rita disse...

"E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente. Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre."

Categorias

Condições de Reutilização

spintadesign

Free Blog Counter